Carregando...
Opinião

Até onde vai a hipocrisia humana?

 

Todos os dias observamos pessoas altamente politizadas, que entendem sobre os mais variados assuntos e que vivem criando os famosos “textões” via redes sociais. As últimas eleições foi o maior exemplo disso, já que maior parte das pessoas, entre essas jovens e adolescentes, se manifestaram politicamente, mostrando um conhecimento até então desconhecido nas escolas e nas ruas das cidades.

Durante anos o cenário político do Brasil sempre foi caótico, devido o descaso da população em relação a política. Pessoas que nunca cobraram seus governantes, que só se manifestavam quando uma “força maior” começava algum movimento, mesmo assim, manifestações essas que englobavam uma pequena parte da população.

Com o aumento da informação, as pessoas agora absorvem notícias por toda parte. E muitas dessas pessoas, absorvem notícias erradas, com fontes duvidosas e mesmo assim a propagam sem controle algum. Claro, não podemos jogar a culpa somente nos internautas que consomem esse tipo de notícia, mas também no tempo que outras pessoas dedicam para criar essas notícias, que às vezes são tão bem elaboradas, que conseguem iludir até mesmo fontes confiáveis de notícias.

O ponto é: a internet elevou o nível de hipocrisia humana. Pessoas que se passam por intelectuais, e que na verdade, não respeitam seus professores, seus pais, e que nunca foram capazes de abrir um livro. Se baseiam em frases ditas na internet, suas fontes são fruto de fake news e suas ideias são limitadas.

E então, nosso futuro está nas mãos de pessoas que possuem um grande potencial de evoluir, com todo o progresso feito no mundo, toda tecnologia existente, tantos meios de aprendizagem e mesmo assim, se limitam com o que é dito em redes sociais. Pessoas essas que apoiam movimentos ambientais, causas de direitos humanos, mas que jogam lixo no chão e se fingem de dementes quando estão sentados e algum idoso entra no ônibus. E a pergunta que nos resta é: até onde pode ir a hipocrisia humana?

Leitura obrigatória